16
abr
09

VIÚVAS INDIANAS

HOJE O o assunto é triste mas o mundo precisa saber quem sabe façamos algo p melhorar isso.Cerca de 13 mil viúvas sobrevivem de caridade nesta cidade VRINDABAN ,indianas repudiadas por não ter marido mendigam  para viver, segundo um estudo do Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem).
São milhares de mulheres, a maioria vestida de branco, sem sapatos e sem cabelos, velhinhas encurvadas com os olhos cobertos por cataratas, mas também jovens, algumas com filhos. Seus maridos morreram e por isso perderam seu lugar na sociedade.
Chegam arrastadas pela miséria ou porque foram expulsas da casa dos maridos e sobrevivem de caridade. Vivem nas ruas enlameadas ou dividem quartos que o governo ou fundações lhes alugam. Os “ashram” (meio asilos, meio conventos) acolhem algumas gratuitamente.
As viúvas são de mau agouro na Índia. Às vezes se diz que são a causa da morte do marido.

 Segundo o Código de Manu, uma das escrituras sagradas mais antigas, uma mulher nunca será  para viver.

Há um  filme Water(água) de 2005, dirigido por Deepa Mehta, faz parte da trilogia earth e fire, ele mostra o drama das viúvas indianas. No ano de 1938, na Índia colonial, a menina Chuyia fica viúva aos 8 anos de idade e é enviada pelos pais a um “asilo” para viúvas, nesse local encontra-se com uma velhinha que está lá desde os sete anos, a rabugenta Shakuntala, Didi que comanda a casa e tem o apoio do sacerdote, e Kalyani , que é usada para prostituição para manter certas regalias na casa. Narayan, um nacionalista seguidor de Gandhi apaixona-se por kayani, mas não é permitido a uma viúva casar-se novamente. Para ter-se uma idéia da situação das viúvas na época o filme começa citando um trecho do livro sagrado: “Uma viúva deve sofrer prolongadamente até sua morte, auto-contida e casta. Uma esposa virtuosa que se mantém casta quando seu marido morre vai para o céu. Uma mulher que é infiel a seu marido renasce no ventre de um chacal”. As Leis de Manu Capítulo 5 versículos 156-161 Dharamshastras (Textos Sagrados Hindus) Imagina-se que hoje em dia as coisas são diferentes, nem tanto, as mulheres indianas ainda sofrem muito. milhões de viúvas ainda vivem em condições precárias.

Anúncios

3 Responses to “VIÚVAS INDIANAS”


  1. abril 25, 2009 às 6:54 am

    Pôxa amiga, como somos felizes e nao sabemos muitas das vezes valorizar a nossa liberdade.

    Nao vi esse filme. Caso vc consiga uma cópia, iria gostar de vê-lo.

    Bjus

  2. maio 10, 2009 às 2:34 am

    Olá!
    Vim conferir a indicação que a Georgia fez lá no blog dela e seu texto confere com o que já li a respeito dessas pobres mulheres viúvas indianas. É uma situação tão drástica quanto a que as mulheres afegãs sofriam nas mãos dos talibãs ou das que em lugares remotos desse planeta, como em África, têm que cortar seus clitóris para não conhecerem o prazer. Todos esses atos contra nós, mulheres, ainda continuam acontecendo e temos que falar sobre, através de nossas armas, nossos blogs ou sites que possam espalhar ao mundo esses horrores, a fim de que um dia isso acabe.
    Lamentável que um país que se diz tão espiritualizado e tanta gente se desloca prá lá atrás de bençãos e homens santos, ainda têm um comportamento antiquado e cruel como este.
    um abraço carioca

  3. outubro 17, 2011 às 6:50 pm

    A a verdade é que nada no mundo, nenhuma ideologia, filosofia ou religião fez tanto pela liberdade e dignidade das mulheres quanto o cristianismo. Basta comparar a vida das mulheres nos países cristãos e nos países não-cristãos… Uma diferença de dignidade abissal! As viúvas que o digam!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: