Arquivo para março \30\UTC 2009

30
mar
09

você já ouviu falar de gumboot?

A dança “Gumboot” teve origem nas Minas de ouro de África do Sul, durante o período de opressão pelo Apartheid – altura em que os trabalhadores negros trabalhavam numa total escuridão, por longos períodos, em condições sub-humanas.

Estavam proibidos de falar entre eles e de reivindicar qualquer tipo de melhoria das condições. Permaneciam dias com água pelos joelhos e por causa disso apanhavam todo o tipo de maleitas. O resultado era, obviamente, uma redução de produtividade.

Conscientes deste problema, os patrões procurarm minimizar os impactos negativos na extração do ouro e resolveram providenciar botas de borracha aos trabalhadores das minas.

A partir daí, os mineiros passaram a tirar partido das botas como forma de comunicação: batiam com os pés na água e chocalhavam as correntes que tinham agarradas à cintura…

Mesmo nestas condições, nos períodos de descanso ainda guardavam energia para cantar, dançar e, claro, beber. Foi nesse ambiente festivo, para matar as saudades de casa e da família, onde nasceu a “Gumboot dancing”. Voltar ao Topo

 Lá no you tube se vc colocar Gumboot Dancers in Cape Town   ou  South Africa -Zulu Gumboot/London Awesome e poderá ver é simplesmente MARAVILHOSO, se vc tiver a chance de ver ao vivo vá.Aqui no Brasil é possível ver uma demonstração na Escola do Movimento Ivaldo Bertazzo dia 03 de abril a partir das 18h30Formação no Método Bertazzo 

Maiores informações ligue
Escola do Movimento-Método Bertazzo
Rua Cotoxó, 1 – Pompéia
+ 55 11 3294-1755
+ 55 11 8244-8305

 

Anúncios
23
mar
09

TAI CHI CHUAN

Tai Chi Chuan é uma arte marcial chinesa e também um sistema de exercícios que nos traz grandes benefícios. Esta prática se baseia no estudo da filosofia e da mente humana pelos chine O que é Tai Chi Chuan: O Tai Chi Chuan é uma Arte marcial de origem chinesa, criada há mais de 2000 anos. Com a invenção das armas de fogo, o Tai Chi Chuan, perdeu seu caráter marcial e passou a ter uso terapêutico.

Sua prática busca o equilíbrio do corpo e da mente. Uma das histórias da criação do Tai Chi Chuan, baseou-se na observação dos movimentos dos animais e da natureza.

2 – Quais os benefícios para quem pratica:
O Tai Chi Chuan atua tanto nos aspectos físicos, quanto nos aspectos mentais do praticante:

Aspectos Físicos:

• Regula a pressão sanguínea

• Previne as doenças dos ossos (artrites, artroses, osteoporoses, etc.)

• Melhora a capacidade respiratória

• Fortalece os músculos

• Aumenta a flexibilidade

• Melhora a circulação sanguínea

Aspectos Mentais:

• Aumenta a capacidade de concentração e de memória

• Previne e reduz os efeitos do stress, ansiedade, síndrome do pânico e depressão

• Relaxa e acalma a mente

3- Quem pode e deve praticar:

O Tai Chi Chuan é indicado para todas as idades. Por ser um exercício de baixo impacto, não causa nenhum tipo de lesão e não apresenta contra-indicação. Pode ser praticado, inclusive por pessoas que tenham restrições a outros tipos de práticas como portadores de diabetes, hipertensos, e cardiopatas, desde que seja feito acompanhamento médico)

ReviewReviewReviewReviewReview

Category: Other


as taoísta e budista, nos ensinamentos de Confúcio e no I Ching (O Livro dsa Mutações). Este vasto conhecimento é aplicado ao Tai Chi Chuan em cada um dos movimentos, visando a eficiência, além de ser um sistema no qual a mente condiciona o corpo e vice-versa. Nos dias atuais, esse conhecimento é preservado e transmitido por algumas famílias chinesas e seus discípulos.

A Familia Yang é uma das cinco familias tradicionais que ainda preservam o conhecimento do Tai Chi Chuan na China, as outras são: Chen, Wu, Wu/Hao e Sun.

O fundador do estilo Yang foi Yang Lu Chan (1799-1872), ele queria desde pequeno aprender o Tai Chi Chuan, que naquela época só era praticado pela familia Chen, porém, esta era uma prática que não se ensinava fora da família, para se ter uma idéia do segredo que se mantinha, basta saber que não era ensinado as mulheres, pois elas ao se casar, poderiam ser convencidas pelo marido (de outra familia) a ensinar os segredos da prática.

Yang Lu Chan perseverou e se ofereceu para trabalhar na casa do mestre Chen (Chen Shang Hsien – 1771-1853) e durante muito tempo observou escondido, os treinamentos secretos e depois imitava aquilo que tinha visto, até que um dia foi descoberto, mas sua grande maestria na prática do Tai Chi Chuan salvou sua vida, pois o mestre Chen o aceitou como discipulo.

Estudou o estilo Chen, por aproximadamente 30 anos e mais tarde removeu alguns movimentos da forma original Chen e criou o Estilo Yang.


LIAN GONG

é o termo chinês que significa trabalho de base. Todo trabalho ou profissão o possui. Toda arte marcial tem neste, a semente que deve ser trabalhada para florescer o melhor fruto.


São exercícios externos tradicionais chineses especialmente desenvolvidos para prevenir e tratar doenças, e que foram recentemente reestruturados para 36 exercícios, por mestres e especialistas.

Seus benefícios são absorvidos logo no primeiro mês de prática, as 18 terapias, como ficaram conhecidas, tem efeitos comprovados nas doenças das articulações e em outros distúrbios físicos.

O lian gong ou lian kung, abrange todas as partes do corpo e atinge todas as articulações, pode ser dividido em seis grupo, contendo seis exercícios em cada grupo, sendo os mais divulgados e praticados apenas os três primeiros grupos, os 18 exercícios.

O ritmo é importante, e os exercícios devem ser feitos lentamente; posturas e posições são indispensáveis para uma execução correta; os membros (braços e pernas) e a coluna vertebral devem ser alongados ao máximo, dentro do limite de cada praticante, com a idéia de espreguiçar sem perder a forma. A respiração é um ponto fundamental no lian gong, devendo estar sempre em sincronia e harmonia com os movimentos, obedecendo a seus princípios.

Os 18 exercícios, são indicados para prevenir e aliviar dores no pescoço, ombros, costas, cinttaichiura e pernas. E associados com a prática

20
mar
09

Ataque cardíacos em mulheres

Oi, essa semana quero falar sobre saúde e creio que a prevenção, a informação correta e ações pró-ativa são um bom caminho para se cultiar saúde, por isso quero dividir esse e-mail que recebi de uma amiga.Ela comentou que não se sentia bem… Lhe doíam as costas… Ia deitar-se um pouco até que passasse… Um tempo mais tarde seu esposo foi ver como ela estava e a encontrou sem respirar… Não a puderam reviver.
 
Eu sabia que os ataques cardíacos nas mulheres são diferentes, mas nunca imaginei nada como isto. Esta é a melhor descrição que li sobre esta terrível experiência.


“Eu tive um inesperado ataque do coração por volta de 22h30min, sem haver feito nenhum esforço físico exagerado nem haver sofrido algum trauma emocional que pudesse desencadeá-lo. Estava sentada, muito agasalhadinha, com meu gato nos joelhos. Lia uma novela muito interessante, com o meu pijama preferido e muito relaxada, enquanto pensava: `Que lindo, isto é vida…!´

Um pouco mais tarde, senti uma horrível sensação de indigestão, como quando – estando com pressa – comemos um sanduíche, engolindo-o com um pouco de água e parece que temos uma bola que desce pelo esôfago, bem devagar, embuchando-nos. É, então, que nos damos conta de que não deveríamos comer tão depressa e que deveríamos mastigar mais devagar e melhor, além disto, tomar um copo de água para ajudar ao processo digestivoEsta foi minha sensação inicial… O `único problema´ era que eu NÃO HAVIA comido NADA desde às 17h00min…

Depois, desapareceu esta sensação e senti como se alguém me apertara a coluna vertebral (pensando bem, agora acredito que eram os espasmos em minha aorta). Logo, a pressão começou a avançar para o meu externo (osso de onde nascem as costelas no peito). O processo continuou até que a pressão subiu à garganta e a sensação correu, então, até alcançar ambos os lados de meu queixo. Nesse momento, soube realmente o que estava se passando comigo… Acredito que todos temos lidos ou escutado que a dor no queixo é sinal de um ataque do coração.
Santo Deus, acredito que estou tendo um ataque cardíaco!´ disse ao gato. Tirei os pés do pufe e tratei de ir até o telefone, mas caí no chão… Então, disse: `Isto é um ataque cardíaco e não deveria caminhar até o telefone nem a nenhum outro lugar, mas… se não digo a ninguém o que se está passando, ninguém poderá me ajudar… E se demoro, talvez não possa mover-me depois.´ Me levantei me apoiando em uma cadeira e caminhei devagar até o telefone para chamar a emergência. Lhes disse que acreditava que estava tendo um ataque cardíaco e descrevi meus sintomas. Tratando de manter a calma, informei o que se passava comigo. Eles me disseram que viriam imediatamente e me aconselharam deitar-me perto da porta, depois de destrancá-la para que pudessem entrar e me localizar rapidamente.

Sabias que os ataques cardíacos nas mulheres raramente apresentam os mesmos sintomas “dramáticos” que anunciam o infarto nos homens? Me refiro à dor intensa no peito, o suor frio e o desfalecimento (desmaio, perda de consciência) súbito que eles sofrem e que vemos representados em muitos filmes.

Para que saibam como é a versão feminina do infarto, uma mulher que experimentou um ataque cardíaco nos vai contar sua história:

Segui suas instruções, me deitei no chão e, quase imediatamente, perdi os sentidos. Não lembro quando, como entraram os médicos e nem quando me levaram de ambulância. Mas, vagamente, lembro de haver aberto os olhos ao chegar no hospital e ver que o cardiologista estava esperando pronto para levar-me à sala de cirurgia. O médico se aproximou e me fez algumas perguntas (creio que perguntou se havia tomado algum medicamento) mas não pude responder nem entender o que me dizia porque voltei a perder os sentidos. Acordei com o cardiologista – como descobri após algumas horas – havia introduzido um pequeno balão em minha artéria femoral para instalar dois “stents” que mantivessem aberta minha artéria coronária do lado direito.

Sei que parece que tudo o que fiz antes de chamar a ambulância houvesse demorado uns 20 ou 30 minutos, mas na realidade apenas me custou 4 ou 5 minutos… E, graças a minhas explicações precisas, os médicos já estavam esperando prontos para atender-me adequadamente quando cheguei ao hospital.Vocês se perguntam porque lhes conto tudo isto com tanto detalhe demorado… É simplesmente porque quero que todos saibam o que aprendi depois desta terrível experiência. Passo, então, a resumir alguns pontos:

 

1. Tenham em conta que seus sintomas1. Tenham em conta que seus sintomas, provavelmente, não serão parecidos em nada aos que padecem os homens. Eu, por exemplo, senti a dor no externo e no queixo. Dizem que muitas mais mulheres que homens morrem em seu primeiro (e último) ataque cardíaco porque não identificam os sintomas e/ou os confundem com os de uma indigestão. Então, tomam um digestivo e logo vão para a cama esperando que o mal-estar desapareça durante a noite. Também, porque – por razões culturais – nós, as mulheres, estamos acostumadas a tolerar a dor e o desconforto mais que os homens. Queridas amigas: Talvez seus sintomas não sejam iguais ao meus, mas, por favor, não percam tempo. CHAMEM a AMBULÂNCIA, se sentem que seu corpo experimenta algo estranho. Cada um conhece o estado natural (normal) de seu corpo. Mais vale uma “falsa emergência” do que não atrever-se a chamar e perder a vida…
2.  Notem que disse “chamem os Paramédicos/Ambulância”. AMIGAS, o tempo é importante, Além disto, não pensem dirigir nem deixem que seus esposos ou familiares as levem ao hospital. Além de que ninguém está em condições de dirigir sem que os nervos os atraiçoem, seus sintomas podem agravar-se no caminho do hospital e complicar as coisas. Tampouco é recomendável chamar O MÉDICO para que venha à sua casa. Além de perder minutos preciosos, poucos médicos levam em seu carro equipamento `salva-vidas´ necessário nestes casos; a ambulância, sim está totalmente equipada. Principalmente, tem oxigênio que precisarás de imediato. Em todo caso, o hospital notificará teu médico depois.
3. Não acreditem que não possam sofrer um ataque cardíaco porque seu colesterol é normal ou `nunca tiveram problemas cardíacos´… Se descobriu que o colesterol por si só (a menos que seja excessivo) raramente é a causa de um ataque cardíaco. Os ataques cardíacos são o resultado de um stress prolongado que faz que nosso sistema segregue toda classe de hormônios daninhos que inflamam as artérias e tecido cardíaco.
Por outro lado, as mulheres que estão entrando na menopausa ou já a ultrapassaram, perdem a proteção que lhes brindava os estrogênios, pelo que correm igual risco de sofrer mais problemas cardíacos do que os homens.

14
mar
09

meu retrato feito por uma artista

Olha  só meu auto retrato feito por uma artistagainha-simone-002Olhem a foto como eu esttava nesse ddsc00693ia.

11
mar
09

EXERCÍCIOS PARA O CÉREBRO

Olá recebi um e-mail excelente de um amigo, com sites para exercitar o cérebro. Amei e decidi compartilhar com vcs. bjs. Si

Este jogo é bom pra afastar o ‘alemão’… Alzheimer!Este jogo(teste) japonês vai mostrar se seu cérebro é mais jovem ou mais velho do que o resto do seu corpo.Como jogar:

1. Clique no site abaixo

2. Quando abrir a página, tecle ‘start

3. Aguarde pelo 3, 2, 1.

4. Memorize a posição dos números e clique nos círculos, sempre do menor para o maior número, começando pelo ZERO, se ele estiver presente.

5. No final do jogo, o computador vai dizer a idade do seu cérebro

http://flashfabrica.com