Arquivo para outubro \30\UTC 2008

30
out
08

GENTILEZA GERA GENTILEZA

O profeta Gentileza sempre dizia por gentileza ,no lugar, de por favor, e muito agradecido ,no lugar de obrigado.

Nascido em Cafelândia-SP, no dia 11 de abril de 1917. Com mais nove irmãos, José Datrino teve uma infância de muito trabalho, na qual lidava diretamente com a terra e com os animais. Para ajudar a família, puxava carroça vendendo lenha nas proximidades. O campo ensinou a José Datrino a amansar burros para o transporte de carga. Tempos depois, como profeta Gentileza, se dizia “amansador dos burros homens da cidade que não tinham esclarecimento”. Desde sua infância José Datrino era possuidor de um comportamento atípico. Por volta dos doze anos de idade, passou a ter premonições sobre sua missão na terra, na qual acreditava que um dia, depois de constituir família, filhos e bens, deixaria tudo em prol de sua missão. Este comportamento causou preocupação em seus pais, que chegaram a suspeitar que o filho sofria de algum tipo de loucura, chegando a buscar ajuda em curandeiros espirituais. Passando sempre o que aprendia a seus amigos. Surge o Profeta Gentileza.

No dia 17 de dezembro de 1961, na cidade de Niterói, houve um grande incêndio no circo “Gran Circus Norte-Americano“, o que foi considerado uma das maiores tragédias circenses do mundo. Neste incêndio morreram mais de 500 pessoas, a maioria, crianças. Na antevéspera do Natal, seis dias após o acontecimento, José acordou alegando ter ouvido “vozes astrais”, segundo suas próprias palavras, que o mandavam abandonar o mundo material e se dedicar apenas ao mundo espiritual. O Profeta pegou um de seus caminhões e foi para o local do incêndio. Plantou jardim e horta sobre as cinzas do circo em Niterói, local que um dia foi palco de tantas alegrias, mas também de muita tristeza. Aquela foi sua morada por quatro anos. Lá, José Datrino incutiu nas pessoas o real sentido das palavras Agradecido e Gentileza. Foi um consolador voluntário, que confortou os familiares das vítimas da tragédia com suas palavras de bondade. Daquele dia em diante, passou a se chamar “José Agradecido“, ou simplesmente “Profeta Gentileza”.

Após deixar o local que foi denominado “Paraíso Gentileza”, o profeta Gentileza começou a sua jornada como personagem andarilho. A partir de 1970 percorreu toda a cidade. Era visto em ruas, praças, nas barcas da travessia entre as cidades do Rio de Janeiro e Niterói, em trens e ônibus, fazendo sua pregação e levando palavras de amor, bondade e respeito pelo próximo e pela natureza a todos que cruzassem seu caminho. Aos que o chamavam de louco, ele respondia: – “Sou maluco para te amar e louco para te salvar“.

Os murais

A partir de 1980, escolheu 56 pilastras do Viaduto do Caju, que vai do Cemitério do Caju até a Rodoviária Novo Rio, numa extensão de aproximadamente 1,5km. Ele encheu as pilastras do viaduto com inscrições em verde-amarelo propondo sua crítica do mundo e sua alternativa ao mal-estar da civilização. Durante a Eco-92, o Profeta Gentileza colocava-se estrategicamente no lugar por onde passavam os representantes dos povos e incitava-os a viverem a gentileza e a aplicarem gentileza em toda a Terra.

 Após sua morte

Em 29 de maio de 1996, aos 79 anos, faleceu na cidade de seus familiares, onde se encontra enterrado, no “Cemitério Saudades”.

Com o decorrer dos anos, os murais foram danificados por pichadores, sofreram vandalismo, e mais tarde cobertos com tinta de cor cinza. O apagamento das inscrições foi criticado e posteriormente com ajuda da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, foi organizado o projeto Rio com Gentileza, com o objetivo restaurar os murais das pilastras. Começaram a ser recuperadas em janeiro de 1999. Em maio de 2000, a restauração das inscrições foi concluída e o patrimônio urbano carioca foi preservado.

No final do ano 2000 foi publicado pela EdUFF (Editora da Universidade Federal Fluminense) o livro Brasil: Tempo de Gentileza, de autoria do professor Leonardo Guelman. A obra introduz o leitor no “universo” do profeta Gentileza através de sua trajetória, da estilização de seus objetos, de sua caligrafia singular e de todos os 56 painéis criados por ele, além de trazer fatos relacionados ao projeto Rio com Gentileza e descrever as etapas do processo de restauração dos escritos. O livro é ricamente ilustrado com inúmeras fotografias, principalmente do profeta e de seus penduricalhos e painéis. Além de fotos do próprio profeta Gentileza trabalhando junto a algumas pilastras, existem imagens dos escritos antes, durante e após o processo de restauração.

Em 2001, foi homenageado pela escola de samba Acadêmicos do Grande Rio.

Em Conselheiro Lafaiete, cidade do interior de Minas Gerais, há um amplo trabalho feito pela ONG AMAR que dá continuidade ao trabalho do Profeta Gentileza. Foram desenvolvidas oficinas com jovens da cidade, onde foi possível repassar as técnicas de mosaico. Além disso, um grande muro no bairro São João recebeu uma linda aplicação de mosaico. E a praça São Pedro, no bairro Albinopólis, foi toda decorada seguindo o exemplo do Profeta Gentileza.

TODAS AS INFORMAÇÕES FORAM RETIRADAS DA INTERNET,na wikkipedia.

15
out
08

Adoção, um ato de nobreza!

Olá vim convidar para a blogagem coletiva sobre adoção.

Maiores informações no blog Saia Justa ,da Georgia, e no Chega mais de Dacio Jaegger.A contecerá do dia 10 a 15 de novembro para tds terem tempo de blogar. ATÉ LÁ.BJS.SIMONEPara a Blogagem Coletiva o convite é:

1) Depoimentos de quem adotou uma criança;
2) Quem pensa em adotar e está neste corredor de espera;

3) Como foi o seu contato com a entidade X criança X você;
4) Quais as dificuldades enfrentadas até a reta final;

5) Você, parente ou amigos estão no corredor de espera para a Adoção?
6) Gostaria de discutir o assunto mesmo que não queira adotar uma criança?
7) E como vê toda essa situação na sociedade em que vivemos?

08
out
08

BRINCADEIRA É COISA SÉRIA!

Oi,

depois de ler o post da Georgia(saiajusta) , resolvi q já era hora de postar sobre  brincadeiras infantis, como vcs. sabem estou estudando no Brincante, e lá brincadeira é coisa séria.Lá são feitas pesquisas sobre as brincadeiras infantis e como essas brincadeiras são fundamentais para o desenvolvimento global das crianças e as pesquisas não são muito animadoras, as cças brincam cada vez menos ao ar livre, o tempo de tv e internet ocupam o lugar das brincadeiras ao vivo, as músicas , filmes, brinquedos industriais tb. deixam a desejar, qual a solução?

Desligar um pouco a tv e brincar com os filhos, sobrinhos, netos, filhos de amigos e agrupar as cças elas têm imaginação de sobra, e juntar gerações as avós, as tias ensinarem as brincadeira de sua infância p os mais jovens eles  amam e reinventaram as brincadeiras.

Lydia Hortélio
Nasceu em Salvador (BA), em 1932. Passou a infância em Serrinha, no sertão baiano. Formação em Música: piano, educação musical e etnomusicologia. Estudos no Brasil, Alemanha, Portugal e Suíça. Dedica-se ao ensino e à pesquisa da música brasileira e da cultura infantil. Tem participado de vários projetos de educação, buscando favorecer a inteireza e o movimento da criança, dentro do seguinte espectro: música, cultura infantil, identidade cultural e educação. Tem realizado cursos, oficinas, palestras e exposições no Brasil e no exterior.

A Lydia tem um acervo demais de 5.ooo brinquedos que garimpou pelas suas viagens pelo mundo e é interessante que muitos brinquedos e brincadeiras se repetem ao redor do mundo e em épocas diferentes desde sec. xv até os diasde hoje.Ela lançou dois cds com músicas e brincadeiras infantis, o segundo cd foi todo feito a partir das lembranças de sua tia que tem hoje 102 anos, isso mesmo 102 anos e este cd é um sucesso entre as crianças de hoje, este cd chama “Bela Alice” e o primeiro é “Abre a roda”.

 

A Lydia pede que todas as pessoas façam um caderno de suas lembranças: das brincadeiras infantis que mais gostava e que incluam seus pais e avós, nessas lembranças, as brincadeiras de rodas, as músicas, as canções de ninar, histórias infantis, rodas de versos.Vamos lá mãos a obra!!!!!E que faça de maneira detalhada e junte os amigos, os familiares, com certeza terão momentos agradáveis e muitas risadas, além de plantar sementes p o futuro.

Eu gostava muito de brincar de elástico, queimadas, ciranda-cirandinha, de versos

“Eu marava na areia,

sereia

me mudei para o sertão,

 sereia

aprendi a namorar,

sereia

com um aperto de mão ,

ô, sereia

eu lhe fiz desafio,

sereia

de na lembrança buscar,

sereia

as brincadeiras queridas,

sereia, e vir aqui compartilhar,

Ô, sereia

Boa viagem !